(pt) [Uruguai] Encapuzados e encapuzadas... Entretanto, o Capitalismo avança...,By A.N.A. on 3 de maio de 2017

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 10 de Maio de 2017 - 07:38:51 CEST


As grandes potências jogam militarmente o destino de milhares de pessoas e a distribuição 
dos bens naturais, avançando em sua reestruturação social mundial. Europa se reestrutura 
acomodando as pessoas ao "fim da era de acordos" que sucedeu a segunda guerra mundial. O 
capital financeiro já não necessita dos pactos de paz e a antiga ordem para estabilizar e 
potencializar o mercado. Aquele proletariado que quis tomar o céu de assalto faz tempo que 
é um cadáver mal cheiroso. Enquanto isso o terceiro mundo busca acomodar-se e vê também o 
fim dos processos particulares, rezando ao deus dinheiro para que chegue alguma migalha... 
---- O fim da era das commodities, o fim da prata doce da exploração natural, se deteve 
também em nossa região e agora todo o trabalho sujo que fizeram os progressistas terá seus 
nefastos frutos nos povos e seu destino. América militarizada pela esquerda, acomodada ao 
capital financeiro e com novos setores de parasitas progressistas prontos a servir a suas 
pátrias, o dinheiro, não sabe o quê fazer. Talvez, alguns territórios passem à tutela 
direitista enquanto que outros continuarão com a tutela da esquerda do Capital dependendo 
do trabalho de marketing que tenham feito.

Acaba de terminar uma greve geral no território brasileiro tentando deter a pior recessão 
de sua história segundo os economistas. Estruturas ainda controladas pelos partidos, 
sujeitas ao domínio dos defensores da ordem tentam deter os rebeldes outra vez que 
dignamente lutam nas ruas. Enquanto isso, os mais excluídos como Rafael Braga seguem 
enchendo os cárceres do Estado mais poderoso do sul.

Na Argentina, Chile, Venezuela ou Uruguai também as pessoas desde a auto-organização devem 
fazer uma dupla luta, contra os aparatos estatais e os paraestatais. Em alguns casos 
também com uma direita organizada e feroz ou simplesmente contra os diferentes setores do 
partido do Estado como aqui. Enquanto que no Chile os enfrentamentos deixaram 51 feridos 
segundo a imprensa capitalista, as barricadas abriram as ruas à luta e a crítica.

O poder desenvolveu múltiplas formas de controlar e atacar a rebeldia e o inconformismo 
anticapitalista, e são os próprios anticapitalistas que devem superar a simples bronca 
para encontrar projetos reais para formas cada vez mais livres de vida. Contra o poder, 
seja defendido por quem for, a extrema-direita pujante como na França, EUA ou Bruxelas ou 
a esquerda moribunda como no cone sul do continente americano.

Como fazê-lo sem deixar passagem a seus contendores eleitorais, desejosos de 
substituí-los? Saberão só os próprios envolvidos em cada lugar. Nossa responsabilidade não 
é dar receitas senão tentar buscar soluções generalizáveis, contagiar, ser sinceros e dar 
passagem à auto-organização generalizada, com base na solidariedade, na reciprocidade e na 
liberdade. É necessário dar o exemplo e escutar...

Abaixo dos paralelepípedos continua sendo a praia, o primeiro é começar...

Anarquistas

periodicoanarquia.wordpress.com

Foto: Manifestantes 1º de Maio em Paris, França.

Tradução > Sol de Abril


Mais informações acerca da lista A-infos-pt