(pt) [Grécia] Convocação anarquista para mobilizações contra a abolição do domingo como dia festivo By A.N.A. (en, gr)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 17 de Julho de 2017 - 09:51:49 CEST


Neste post publicamos um texto da Assembleia de anarquistas pela emancipação social e de 
classe sobre as contínuas tentativas das elites econômicas e sociais de eliminar o caráter 
festivo do domingo. ---- Nenhum domingo com lojas abertas. Contra-ataque social e de 
classe contra o Estado e o Capital ---- No marco da reestruturação capitalista a ofensiva 
do Estado e do Capital está se intensificando. Os gestores políticos continuam a ofensiva 
contra a sociedade sem parar, demonstrando a continuidade do Estado, não apenas apoiando e 
materializando as medidas no marco dos memorandos impostos por seus predecessores, mas 
impondo um quarto memorando e intensificando a indigência e o empobrecimento dos 
explorados e dos oprimidos, rebaixando constantemente os salários e as pensões, impondo a 
precariedade, o desemprego e a privatização da riqueza pública e dos recursos naturais.

Depois de várias tentativas de legislar a abolição do domingo como dia festivo, ou seja 
abolindo um direito trabalhista conquistado com duras lutas, recentemente foi votada a lei 
que prevê a abertura das lojas todos os domingos desde maio até outubro, ou seja 32 
domingos ao ano. A abertura das lojas aos domingos vem a legalizar-se em nome do cobiçado 
desenvolvimento, do aquecimento da economia nacional e da criação de novos postos de 
trabalho, no entanto, não é nada mais que a continuação do agravamento das condições de 
exploração. Vem se somar à mudança violenta das condições de trabalho nas quais se inclui 
o trabalho remunerado, os horários de trabalho flexíveis, os contratos de trabalho 
individuais, a reciclagem dos desempregados através dos denominados programas de trabalho 
de interesse social, o trabalho sem seguro social, etc. Esta mudança conduz à continuação 
da desvalorização da força laboral, sempre beneficiando o Capital. Está integrada na 
tentativa de impor (consolidar) um modelo laboral mais flexível, no qual os trabalhadores 
terão que estar constantemente dispostos, segundo as necessidades dos patrões. No mesmo 
marco estão integradas as chamadas "Noites Brancas", com os dependentes sendo obrigados a 
trabalhar até uma ou duas da madrugada.

A luta contra a abolição do domingo como dia festivo é mais um campo de luta no qual 
estamos reivindicando e estamos lutando por nossas necessidades. Praticando a 
solidariedade de classe e a auto-organização, resistimos a mais uma medida que pretende 
nos submeter, e nos opomos a qualquer tentativa de degradação de nossas vidas. A defesa do 
caráter festivo dos domingos, a luta contra os leilões de moradias, a luta pelo acesso 
livre aos meios de transporte massivos, as ações de solidariedade com os refugiados e os 
imigrantes, a luta pela defesa das okupas, assim como qualquer luta que monta barricadas 
contra a barbárie capitalista, constituem veredas que conduzem à liberação social, a uma 
sociedade na qual os de baixo deste mundo possam determinar suas vidas. Também fazem parte 
de uma luta mais ampla por um mundo de igualdade, solidariedade e liberdade, pela 
revolução social, a anarquia e o comunismo.

Quinta-feira, 13 de julho de 2017: Manifestação operária pela defesa do domingo como dia 
festivo, às 18 horas, Jafteia (esquina das ruas Stadiou e Eolou).

Domingo, 16 de julho de 2017: Greve no setor do comércio e concentração, rua Ermú, às 10 horas

Assembleia de anarquistas pela emancipação social e de classe

O texto em grego:

https://athens.indymedia.org/post/1575839/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt