(pt) federacao anarquista gaucha FAG: História -- Arriba los que luchan: Sindicalismo revolucionário e luta armada. A trajetória da Federação Anarquista Uruguaia: 1963-1973.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 9 de Janeiro de 2017 - 10:35:22 CET


Publicamos a Dissertação de Mestrado do companheiro Daniel que estuda um período da 
história da Federação Anarquista Uruguaia, que vai de 1963 até 1973, e na qual aborda sua 
concepção de luta simultânea no movimento sindical e através da luta armada. ---- Acesse o 
trabalho no link: 
http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/147321/000998760.pdf?sequence=1 ---- 
RESUMO: ---- A presente dissertação tem como objetivo analisar a incidência da Federação 
Anarquista Uruguaia (FAU) nas lutas sociais do Uruguai entre os anos 1968-1973. Fundada em 
1956, a FAU se alimentou de uma grande influência de anarquistas como Malatesta e Bakunin, 
além de inúmeras experiências do movimento operário no país, como foi o caso dos 
sindicatos autônomos e os grêmios solidários. Posta na clandestinidade junto a outras 
organizações de esquerda em dezembro de 1967, a FAU seguiu desenvolvendo uma consistente 
atuação político-social.

Nesse período, compreendido pela organização enquanto uma "ditadura constitucional", 
ampliou de forma considerável seu raio de influência no movimento sindical e estudantil, 
conformando uma importante organização de massas, a Resistencia Obrero Estudiantil (ROE) 
além de impulsionar um campo de agrupações sindicais que sustentavam uma oposição de 
esquerda à política do Partido Comunista Uruguaio no movimento sindical, a Tendencia 
Combativa. Também participou ativamente no processo de unificação do movimento sindical, 
que culmina na conformação da Convención Nacional de Trabajadores (CNT). Além de galgar 
uma significativa expressão nas lutas de massas, a FAU também desenvolveu um pequeno, 
embora eficaz, aparato armado, a Organización Popular Revolucionaria 33 Orientales 
(OPR-33). Apesar de reivindicar expressamente a luta armada como via revolucionária, esta 
organização não abarcou nas teses do foquismo, que tanto influenciaram organizações no 
continente, sustentando um projeto de luta armada articulado e dirigido por uma 
organização política, com incidência de massas. A luta armada era compreendida, portanto, 
enquanto uma expressão de auto defesa e impulso das lutas de massas.

https://federacaoanarquistagaucha.wordpress.com/2017/01/03


Mais informações acerca da lista A-infos-pt