(pt) O Estado chileno detém e deporta anarquistas peruanos By A.N.A.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 5 de Fevereiro de 2017 - 10:19:57 CET


Os corpos repressivos do Estado detiveram em La Serena companheiros peruanos pertencentes 
ao Taller de Estudios Anarquistas (TEA), que, entre outras atividades de formação 
histórica, iriam realizar uma conferência esta sexta-feira 27 de janeiro em Santiago, 
dentro das Jornadas Internacionais Derrubando Fronteiras, as quais foram suspendidas até 
novo aviso. Para concretar a detenção e a iminente deportação, os mercenários do Estado 
fizeram uso do Decreto 2601, no qual proíbe o ingresso ao país a quem "propague ou fomente 
a palavra por escrito ou qualquer outro meio, doutrinas que tendem a alterar a ordem 
social". Esta mesma lei data de 1975, ou seja, se promulgou nos primeiros anos da ditadura 
de Pinochet, e como podemos ver o Estado não duvida em aplicá-la quando se trata de 
companheiros anarquistas. Para eles basta que transportes livros ou literatura libertária 
como prova acusatória de "alterar a ordem social do país".

A principal razão do Estado para expulsar os companheiros foi a tal normativa, mas também 
sabemos que se soma o elemento racista e tipicamente xenófobo da institucionalidade 
chilena. A classe dominante quer os estrangeiros como imigrantes que trabalhem sem se 
queijar e, convenientemente, com o sorriso de orelha a orelha. Quando se trata dos 
explorados e oprimidos conscientes e com ideias libertárias, já não são bem-vindos. 
Querem-nos como c orpos de consumo, de carga e exploração, e não como seres pensantes que 
questionam as injustiças existentes.

O Estado chileno parou a gira libertária dos companheiros da TEA. No entanto, isto não 
fará mais que reforçar os vínculos solidários entre os povos. Enganam-se as autoridades 
chilenas se pensam que expulsando os companheiros, que a sua mensagem será, em estas 
terras, paralisada. Pelo contrário, chamamos companheiros de toda a região peruana e do 
continente para fortalecer as relações. Frente à ambiç ão capitalista da integração 
latino-americana das burguesias, os anarquistas nos entrelaçamos para que rompemos com o 
nacionalismo, o militarismo e o desenvolvimento do capitalismo que arrasa os ecossistemas. 
Hoje podem deportar nossos companheiros, mas não cortarão as ligações de construir um novo 
mundo sem fronteiras e sem domínios.

Na continuação partilhamos um comunicado difundido pelas redes sociais, assinado pela Casa 
Oktubre e Grupo Krisis. Também chamamos a atenção para estar alertas sobre o 
desenvolvimento da detenção e, sobretudo, a solidarização com Michael, Carla e Eduardo:

"Comunicado Público perante a perseguição e a expulsão dos companheiros peruanos que 
participaram no foro sobre o historial social do anarquismo"

Desde o seminário Norte chileno, a Casa Oktubre e Grupo Krisis, denunciamos a perseguição, 
detenção e a expulsão arbitrária dos companheiros Michael, Carla e Eduardo, membros do 
Taller de Estudios Anarquista (TEA) da Universidade Mayor de San Marcos. Estes 
encontravam-se no Chile participando num ciclo de conferências sobre a história social do 
anarquismo. Frente aos acontecimentos, aclaramos:

1- Os companheiros peruanos são jovens lutadores sociais, que num gesto de solidariedade 
visitavam nossas terras partilhando os seus saberes e experiências na luta popular. Cabe 
destacar que os companheiros contam com uma reconhecida trajetória como investigadores da 
história social peruana.

2- Os companheiros foram recebidos na Casa Oktubre (La Serena). A Casa Oktubre é um espaço 
autogestionado e libertário, onde permanentemente se realizam atividades de difusão 
cultural, promoção de respeito aos Direitos Humanos e defesa da natureza, produção do 
conhecimento local e construção coletiva de alternativas à sociedade capitalista. Neste 
contexto, a visita dos companheiros peruanos insere-se numa s&eacut e;rie de atividades 
orientadas a fortalecer os laços de solidariedade popular, de caráter internacionalista.

3- Desde a sua chegada a Arica, os nossos companheiros foram perseguidos pela polícia 
chilena até serem detidos em La Serena, ao meio dia de quarta-feira, 25 de janeiro. Os 
companheiros foram detidos por transportarem bibliografia de crítica social, que segundo a 
polícia cai dentro da categoria "literatura subversiva" e vigora a aplicação do Decreto 
2601 da Lei de estrangeiros. Com base neste decreto, os companheiros foram expulsos do pa ís.

4- Durante a tarde, os companheiros foram trasladados pela PDI ao norte chileno, na 
intenção de assegurar a sua saída do país. Este trajeto realizam-no na qualidade de 
detidos, expulsados e incomunicáveis.

Frente aos acontecimentos assinalados, assinalamos:

1- Nossa profunda indignação sobre a operação da polícia chilena que injustificadamente 
aplicaram o Decreto 2601, denegrindo os direitos humanos dos nossos companheiros. 
Acreditamos que este ato só se pode explicar devido à ignorância, racismo e xenofobia que 
historicamente sempre caracterizou o Estado chileno. Infelizmente este não é um ato 
isolado, pois forma parte de um ciclo de repressão que tenta desmontar as lutas populares 
que atualmente acontecem em nossas terras latino-americanas. Assim mesmo, este ato 
insere-se numa vasta hist&oac ute;ria de terrorismo estatal vinculado além fonteiras, como 
exemplo mais claro a Operação Condor.

2. A nossa preocupação pelas consequências que este evento terá para os companheiros, pois 
não temos a certeza que sejam respeitados durante o trajeto, sobre que condições cruzarão 
a fronteira e nem se estes feitos terão consequências no Peru. Por este motivo convocamos 
as organizações sociais, coletivos, agrupações e individualidades a solidarizar-se com os 
nossos companheiros, difundido a situação e acompanhando o seu trajeto e, sobretudo a sua 
passagem na fronteira.

3. Nossa profunda indignação pelas estratégias de terrorismo estatal, mas também nossa 
confiança na unidade dos povos.

PS: Porque só a solidariedade poderá desbordar esta sociedade de violência e saques, 
deixamos aberto o convite para quem queira subscrever este comunicado".

Fonte: https://noticiasyanarquia.blogspot.com.br/2


Mais informações acerca da lista A-infos-pt