(pt) [EUA] Cornel West: "Se não fosse pelos anarquistas e os antifascistas, eles teriam nos esmagado" By A.N.A. (ca,en, it, fr )

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 27 de Agosto de 2017 - 07:30:21 CEST


Na esteira dos recentes confrontos em Charllotesville, na Virgínia, envolvendo 
manifestantes de extrema-direta, neonazistas, supremacistas brancos e contramanifestantes, 
o ativista negro e filósofo Cornel West concedeu uma entrevista ao programa "Democracy 
Now!", conduzido pela jornalista Amy Goodman. A seguir, reproduzimos um trecho da 
entrevista. ---- Havia um grupo de valentes estudantes, de todas as cores, que estavam na 
Universidade de Virgínia protestando contra os neofascistas. Os neofascistas tinham suas 
próprias armas. E isto é algo muito importante a ter em conta, porque a polícia, em sua 
maior parte, retrocedeu. No dia seguinte, por exemplo, os 20 dos nossos que estávamos ali 
parados, muitos deles parte do clero, teríamos sido esmagados como baratas se não tivesse 
sido pelos anarquistas e os antifascistas que se aproximaram, uns 300 ou 350 
antifascistas. Nós éramos 20. E estávamos cantando "This Little light of Mine". Sabe a que 
me refiro? De maneira que...

Os antifascistas, e logo, algo crucial, os anarquistas, porque na realidade nos salvaram a 
vida. Teríamos sido esmagados completamente, e nunca o esquecerei. Quê significa isto? O 
que significa é que a polícia estava retrocedendo, isso por um lado, assim que nem sequer 
teríamos sido presos. Estávamos ali para sermos presos. Não teríamos sido presos, porque a 
polícia havia se retirado, deixando aos concidadãos atacarem-se uns aos outros, com todas 
as consequências que se poderiam derivar disso.

Assim que, nesse sentido, creio que o que realmente estamos vendo, irmã Amy, é o declive 
do império estadunidense, com o reinado das grandes fortunas, com o militarismo massivo, 
facilitado pela utilização dos mais vulneráveis como bodes expiatórios: imigrantes, 
muçulmanos, judeus, árabes, gays, lésbicas, trans e bissexuais, e da gente negra. A 
supremacia branca era tão intensa. Nunca vi esse tipo de ódio em minha vida. Ficamos ali 
parados, e passaram nove unidades, olhando-nos diretamente nos olhos. Insultando-nos 
também. Tiveram sorte de que o Espírito Santo não me abandonou, para ser sincero, porque 
queria deixar-me levar. Sou cristão, mas não pacifista, já sabe? Mas me contive. No 
entanto, essa classe de ódio... mas isso é só o lugar do conflito. Isto se trata das 
grandes fortunas, da indústria armamentística, e do modo em que esta civilização 
capitalista nos está conduzindo para uma obscuridade e desolação incrível. E o mais belo é 
ver as pessoas lutarem contra. Foi algo bonito ver a toda essa gente respondendo. Mas 
havia mais fascistas que anarquistas, mais fascistas que gente respondendo.

> Entrevista na íntegra:

https://www.democracynow.org/2017/8/14/cornel_west_rev_toni_blackmon_clergy

Tradução > Sol de Abril


Mais informações acerca da lista A-infos-pt