(pt) Luta Social Ano 1 - Julho 2017 - Número 2 - Publicação de circulação nacional da Coordenação Anarquista Brasileira - EDITORIAL

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 16 de Agosto de 2017 - 07:42:48 CEST


http://federacionanarquistauruguaya.com.uy/wp-content/uploads/2017/08/Luta-social-n2-A2-FINAL-v2-1.pdf 
---- Chegamos à segunda edição do Luta Social em meio a um período de coincidências e 
contradições. Há exatos 100 anos atrás, lutadores anarquistas e libertários organizavam 
uma grande greve geral, que ganhou diversas capitais contra o abuso dos patrões. E nos 
últimos dias 28 de abril e 30 de junho também foram articuladas greves gerais contra 
reformas brutais feitas pelo governo ilegítimo e pela classe burguesa contra os 
trabalhadores. Apesar das coincidências, é impossível não notar as diferenças: há um 
século atrás ia-se às ruas pela ampliação de direitos e hoje o que fazemos é lutar pela 
manutenção dos poucos direitos que temos. ---- E o que justifica tanta diferença? 
Claramente a forma de organização dos trabalhadores! Se no primeiro momento, o horizonte 
do sindicalismo revolucionário conduzia a organização pela base, de forma igualitária e 
participativa; já hoje, os sindicatos burocratizados deram todo o poder às direções, 
decidem tudo por cima e nem conseguem impedir a retirada dos direitos do trabalhadores -- 
o que seria o mínimo! Os textos da capa e o texto dedicado à memória da greve geral de 
1917 trabalham esses assuntos.

No texto das páginas 4 e 5, tratamos de outro tema de grande importância que corre em 
nossos tempos:
a violência desferida contra lutadores de movimentos sociais do campo. Nessas páginas 
destacamos um compilado de episódios ocorridos apenas esse ano que faz a denúncia dos 
ataques de fazendeiros e agentes do Estado e reivindica apoio e atenção a esses movimentos.

Na última página, estreia uma coluna sobre cinema, que traz a indicação do filme Martírio, 
sobre 30 anos de luta e resistência do povo Guarani Kaiowá, e também há um relato sobre 
trabalho do Horta di Gueto, movimento que atua com permacultura e autogestão em bairros 
periféricos de Taboão da Serra e São Paulo.

Confira! A publicação Luta Social é trimestral e todo conteúdo que não é produção da 
própria Coordenação Anarquista Brasileira é assinado pelo grupo colaborador. Mande sua 
sugestão para: cab.br  riseup.net.

http://federacionanarquistauruguaya.com.uy


Mais informações acerca da lista A-infos-pt