(pt) [Bolívia] Cobrem com tinta branca mural crítico com a Igreja Católica realizado por Mujeres Creando By A.N.A.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 20 de Outubro de 2016 - 13:57:42 CEST


"A grande divulgação que recebeu o mural através de redes sociais, meios de comunicação 
(...) o converte em um mural que já está pintado no imaginário da sociedade boliviana", 
disse Maria Galindo ---- Um grupo de pessoas cobriu com tinta branca um mural crítico com 
a Igreja Católica e o Estado pintado na fachada de um museu de La Paz pela agrupação 
feminista boliviana Mujeres Creando. ---- Todos os símbolos que se referiam à Igreja 
Católica foram cobertos, nesta terça-feira (11/10), por dezenas de pessoas enquanto 
rezavam "Ave Marias", de acordo com vídeos publicados nesta quarta em meios locais. ---- 
Esta ação foi qualificada de "censura" e "fanatismo" pela ativista de Mujeres Creando, 
Maria Galindo. ---- "A grande divulgação que recebeu o mural através das redes sociais, 
meios de comunicação (...) o converte em um mural que já está pintado no imaginário da 
sociedade boliviana. A reação de cobri-lo é uma reação que não é de crítica, mas sim de 
censura, de fanatismo, que pretende ocultar o que é inocultável", disse Galindo.

"Ave Maria cheia eres de rebeldia", "Nem a terra nem as mulheres somos território de 
conquista", "Que Deus fique órfão, sem mãe, nem virgem" são algumas das frases que as 
integrantes de Mujeres Creando pintaram na fachada do Museu Nacional de Arte e que ficaram 
cobertas.

Este grupo de mulheres foi convidado para participar da IX versão da Bienal de Arte 
Contemporânea da Bolívia, que começou nesta terça, entre os protestos de pessoas que 
consideravam o mural ofensivo.

A Bienal e o Ministério de Culturas outorgaram a Mujeres Creando o espaço no Museu 
Nacional de Arte e elas aproveitaram que na terça se celebrou o Dia da Mulher Boliviana 
para criticar a submissão da mulher no país andino.

Galindo considerou "muito grave" o fato de que o Museu Nacional de Arte não tenha sido 
capaz de impedir que o mural tenha sido coberto.

"Uma coisa são as críticas, as exaltações (...) e outra é cobri-lo. Para mim, é o signo de 
um fundamentalismo religioso fanático que estava presente, disse Galindo.

A Bienal contará com mais de 200 convidados de 26 países, incluídos Espanha, Brasil, 
Camarões, Canadá, Chile, Lituânia, Moçambique, Noruega, Nova Zelândia, Paraguai e Senegal.

Durante um mês, sob o conceito de "Ver com os ouvidos: poéticas das temporalidades", este 
evento ocupará espaços tradicionais e alternativos de La Paz com mais de 20 exposições de 
arte.

Fonte: agências de notícias

Tradução > KaliMar


More information about the A-infos-pt mailing list