(pt) [Espanha] Centenas de pessoas vão às ruas de Logroño para pedir o fim de processos contra militantes da CNT By A.N.A. (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 27 de Novembro de 2016 - 13:10:18 CET


Mais de 600 pessoas participaram neste sábado (12/11), pelas ruas de Logroño, da 
manifestação convocada pela "Plataforma Stop Represión La Rioja" para marcar o "IV 
aniversário da Vergonha" e recordar os acontecimentos do dia de greve geral de 14 de 
novembro de 2012 e pedir mais uma vez a retirada dos processos contra Jorge e Pablo, 
militantes da CNT, detidos e acusados após a referida greve. ---- Às 12h, atrás de uma 
faixa onde se lia "NÃO ao caso do 14N em Logroño", os manifestantes começaram a marcha 
desde a rotatória do Doctor Zubía, passando pelas ruas Portales e Bretón de los Herreros 
para terminar na concha do Espolón. Ao longo do caminho entoaram gritos como "Se tocam a 
um, nos tocam a todos", "Contra sua repressão, nossa resistência", "Chega de montagens 
policiais" ou "Liberdade, liberdade, detidos por lutar".

No início da marcha Jorge também tomou a palavra, ele é um dos acusados a quem pedem dois 
anos de prisão por um crime de desordem pública. Jorge agradeceu a solidariedade mostrada 
por tantas pessoas que nos acompanharam hoje e disse que "embora tenha passado quatro anos 
da vergonha não vão nos calar, e vamos continuar na rua, porque não temos nenhum medo".

Recordando...

Os fatos pelo quais Jorge e Pablo são acusados, remontam a greve geral de 14 de novembro 
de 2012. Conforme explicado desde a Plataforma, "Jorge e Pablo participaram nesta jornada 
e a manifestação terminou com uma atmosfera de alegria pelo êxito de participação".

Nesse momento, diante da perplexidade dos manifestantes se produziu um brutal ataque da 
Polícia Nacional e três sindicalistas foram detidos. Especificamente, e depois desse 
evento, Pablo foi acusado de agressão contra a autoridade, de desordem pública, 5 lesões e 
1 delito de lesão, e a Jorge de um crime de desordem pública.

Tudo em um momento em que, como lembra a Plataforma, Pablo "simplesmente levava um cartaz 
quando foi espancado até o carro da polícia, acusado de atirar uma pedra que iniciaria os 
ataques. No entanto, vemos nos vídeos que é um globo de cor rosa o que originou o ataque". 
Por outro lado, Jorge foi detido um dia depois do 14N. Jorge fez um discurso com o 
megafone no final da manifestação, "mas suas palavras são distorcidas para culpá-lo de 
vários crimes".

Além disso, "quando se incia o ataque da polícia, Jorge não estava no lugar dos fatos, 
depois de seu discurso ele saiu, pois ia trabalhar no turno da noite". Diante de tais 
evidências, "e depois de três anos o Promotor pede para ele 2 anos de prisão e não 9, como 
havia feito anteriormente".

Após a manifestação deste sábado, a "Plataforma Stop Represión La Rioja" também organizou 
um concerto solidário no teatro da CNT, e na segunda-feira, 14 de novembro, às 19h30, 
exibiram o documentário anti-carcerário "Abajo los muros", com posterior discussão com o 
grupo "La Tavaya", na sala multiuso da Prefeitura de Logroño.

Vídeo "El NO CASO del 14N en Logroño": https://www.youtube.com/watch?v=_kISyhCb4ks

Mais infos: stoprepresionlarioja.wordpress.com


More information about the A-infos-pt mailing list