(pt) [Espanha] Manifestação Solidária: "Lado a lado na luta com os nossos companheiros anarquistas presos" By A.N.A.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 15 de Novembro de 2016 - 10:28:09 CET


Nos últimos anos, o Estado espanhol lançou uma ofensiva repressiva contra alguns 
companheiros anarquistas em especial e contra boa parte do movimento libertário em geral. 
Os golpes repressivos das operações "Columna", "Pandora 1 e 2", "Piñata" e "Ice" fizeram 
com que mais de 40 companheiros fossem processados e associados a atividades e/ou 
organizações de caráter terrorista. Desses, 18 passaram por várias prisões sob regimes de 
alta segurança, salientando que três deles estão ainda na prisão: Nahuel, Mónica e 
Francisco. O primeiro vai cumprir um ano em pris&atild e;o preventiva aguardando 
julgamento. Mónica e Francisco foram condenados em primeira instância a 12 anos de prisão, 
e estão atualmente aguardando a decisão final após o recurso interposto pela sua defesa 
perante o Supremo Tribunal Federal (em 19 de outubro passado foi feita a vista da 
apelação). Mas este ano, as estratégias de repressão e dos juízes transcenderam as 
fronteiras do reino e buscou cumplicidades com os seus pares de outros países.

Referimo-nos aos dois companheiros anarquistas detidos em Barcelona em abril e junho pelos 
Mossos d"Esquadra[polícia catalã], sob um mandado europeu de detenção emitido pela justiça 
da Alemanha por suposta participação de ambos em assaltos a banco na cidade de Aachen. 
Nestes casos, não estamos falando apenas de uma participação pontual da polícia regional 
catalã n a prisão de nossos companheiros, mas que se trata de um trabalho conjunto que as 
polícias da Alemanha e Espanha vem realizando há anos, refletindo as práticas 
colaborativas conhecidas entre os vários organismos de inteligencia europeus em sua luta 
contra os inimigos comuns, neste caso, o anarquismo combativo e de ação.

Não pretendemos aqui entrar em discussões, que melhor correspondam a uma métrica judicial 
e moral, sobre a "inocência" ou "culpabilidade" de nossos companheiros represaliados e 
encarcerados nesta sequência de golpes repressivos, e menos ainda pretendemos refletir 
sobre a lógica da "montagem" ou "ficção policial". O que nos interessa é mostrar que 
embora tenhamos reconhecido, individual e coletivamente, a recente crueldade repressiva, 
nos reafirmamos na luta com a certeza de que nem a polícia nem juízes, nem procuradores, 
nem carcereiros poderão parar os processos libertários em execuç& atilde;o e a 
solidariedade entre anarquistas. Diante de suas leis e suas prisões nos revelamos desde a 
criatividade na revolta e desde a agitação em todas as suas formas, tendo em conta, em 
cada ação, nossos companheiros anarquistas presos e todos aqueles que se atrevem a se 
rebelar contra a prisão desde dentro.

Esta convocatória, que responde à situações específicas: os três anos de prisão de Mónica 
e Francisco; um ano de prisão preventiva de Nahuel; e a proximidade do julgamento a ser 
realizado na Alemanha contra a companheira detida em 13 A[13 de abril de 2016], não se 
destina a cingir a luta sob os avatares dos ritmos repressivos impostos pelos os que 
pretendem nos calar, imobilizar e enclausurar. Muito pelo contrário, o chamado é para 
visibilizar a luta e a solidariedade contínua, materializando-se em nossos campos de ação 
e no nosso cotidiano como práticas dinâmicas e versáteis, independentemente d e datas e 
calendários, porque acreditamos firmemente que perante a repressão e a prisão só temos uma 
resposta: a agitação permanente...

> Manifestação Solidária <

Sábado, 12 de Novembro, às 18h, em frente ao mercado de "Santa Caterina"

Metrôs Jaume I e Urquinaona.

(Finalizará na prisão de mulheres de Wad-Ras)


More information about the A-infos-pt mailing list