(pt) [México] Anarquistas fazem ato em memória de Ricardo Flores Magón By A.N.A. (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 1 de Dezembro de 2016 - 13:32:06 CET


Como todos os anos, neste 21 de novembro de 2016, fizemos uma visita no túmulo onde 
descansam os restos mortais do companheiro Ricardo Flores Magón[16/09/1873 - 21/11/1922], 
a fim de homenagear sua memória, suas ideias, sua luta, sua vida, e recordar o seu covarde 
assassinato há 94 anos na penitenciária de Leavenworth, nos Estados Unidos. ---- Só 
mediante o vil assassinato, eles conseguiram arrebatar a voz de Ricardo, que nunca 
fraquejou, nem diante da perseguição, da prisão, ou do declínio de sua saúde com a qual 
empalideceu seu corpo prisioneiro e doente. E mesmo com sua imposta e covarde sentença de 
morte, eles não conseguiram silenciar essas ideias anarquistas que Ricardo, juntamente com 
seus correligionários, desfraldava sob a bandeira de "Viva Tierra y Libertad", com o qual 
eles semearam as terras e as mãos camponesas e operárias desta regi ão do mundo.

Ricardo e seus companheiros do Partido Liberal Mexicano, postularam desde o início do 
século XX a luta contra o ditador Díaz; levantando desde muito cedo a bandeira da 
revolução, que gradualmente foram transformando em vozes anarquistas que embalaram a 
história mexicana com suas ideias e suas ações. Dentre eles saíram os principais 
postulados revolucionários, com tal força, que se quer os que acabaram com a revolução 
puderam ignorá-las.

Suas vozes foram insistentes e seus gritos frontais de liberdade, que se recusaram a ser 
submetidas ante qualquer poder político - nem mexicano ou norte-americano. Só com o 
assassinato vil e covarde puderam cortar essa voz irredutível, mas não silenciaram suas 
ideias, fecundas, livres, anárquicas.

Como todos os anos, chegamos, sim, poucos, parece que cada vez menos, a colocar a bandeira 
negra da anarquia na sepultura de Ricardo, junto com flores de liberdade, falando da sua 
memória, das suas ideias que ainda estão vivas e latentes, que, com todas as nossas 
faltas, nossos erros, nossas limitações, que são muitas, continuamos aqui, sob o lema de 
"Viva Tierra y Libertad".

Quando eu morrer, talvez meus amigos escrevam em meu túmulo "Aqui jaz um sonhador"; e meus 
inimigos "Aqui jaz um louco". Mas não haverá quem se atreva a escrever esta inscrição: 
"Aqui jaz um covarde e traidor de suas ideias". Ricardo Flores Magón

Conteúdo relacionado:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2015/11/24/mexico-fotos-do-ato-em-memoria-aos-93-anos-do-assassinato-de-ricardo-flores-magon/


More information about the A-infos-pt mailing list