(pt) France, Alternative Libertaire AL #253 (Oct) - Leia: Jacques Leclercq, "(Nossos) neonazistas e de extrema-direita" (en, it, fr) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 26 de Novembro de 2015 - 09:54:37 CET


Impressionante é certamente a palavra que vem quando você tem o livro de mãos Jacques 
Leclercq. Ele é o primeiro de seu tamanho significativo (528 páginas de qualquer forma), 
mas também pela observação cuidadosa do microcosmo do trabalho da Hexagon ultradroite em 
seus mínimos detalhes. ---- O período histórico e do número de organizações, grupos, 
facções ou seitas é colossal. Isto é tanto a força ea fraqueza deste livro, a 
integralidade é interessante, mas é rapidamente perdido em siglas ou nomes de jogadores. 
---- Da mesma forma, às vezes me pergunto sobre o espaço dedicado a certos 
microgroupuscules que não deve ter mais de quinze membros para que movimentos mais amplos 
dificilmente são sobrevoados (este erro é relativo uma vez que outras obras de autor são 
dedicadas precisamente a estes grupos).

No entanto, é inegável que o escalonamento de debates que vivem na franja esta política 
deixa escapar uma visão simplista de que poderíamos ter esses grupos e dinâmicas que os 
dirigem.

Seria um grave erro político de considerar que não há nenhuma doutrina ou que eles são 
construídos sobre uma inconsistência teórica ou filosófica. Embora esses grupos que 
proliferam na fraqueza endêmica do movimento operário atual, mas como Korsch dito sobre o 
nazismo: "O fascista tentando realizar com os novos métodos revolucionários, e de uma 
forma significativamente diferente, as tarefas sociais e políticas que os partidos e 
sindicatos reformistas prometeram dirigir sem ser capaz de alcançar nos determinadas 
condições históricas. "[1] É, portanto, uma força que tem uma forma de autonomia e um 
projeto social" alternativo "no âmbito capitalista. Seus projetos são naturalmente 
repugnante a todos os pontos de vista e ler seus textos só pode fortalecer-nos na 
importância da luta anti-fascista.

Essa importância deve forçar-nos a compreender a sua lógica precisamente para melhor lutar 
em vez de cair nas anátemas e atalhos fáceis, examinar mais de perto a debates e 
discussões teórico capela.

Entendemos que a extrema direita está longe de ser um monólito e não apenas uma simples 
questão de ego de seus líderes. Uma obra que em minha opinião é, portanto, destinado a 
todos aqueles que querem aprofundar seus conhecimentos destes grupos, mas que é 
dificilmente acessível para os recém-chegados que poderiam se perder no labirinto de 
siglas, nomes e eventos.

Sin Vincente (AL de Bruxelas)

Jacques Leclercq (Nossos) neonazistas e de extrema-direita, L'Harmattan, 2015, 528 
páginas, 49 euros.

http://www.alternativelibertaire.org/?Lire-Jacques-Leclercq-Nos-Neo


More information about the A-infos-pt mailing list