(pt) Declaração do IV Encontro Regional Sul da Coordenação Anarquista Brasileira CAB - 2015 (ca, en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 5 de Novembro de 2015 - 15:59:01 CET


Nos dias 24 e 25 de outubro, em Curitiba/PR, o Coletivo Anarquista Luta de Classe (CALC) 
do Paraná, o Coletivo Anarquista Bandeira Negra (CABN) de Santa Catarina e a Federação 
Anarquista Gaúcha (FAG) do Rio Grande do Sul, organizações do sul do país que compõem a 
Coordenação Anarquista Brasileira (CAB), estiveram presentes em seu IV Encontro Regional. 
O encontro serviu para discutir a conjuntura econômica, política e ideológica do Brasil, 
de modo a fortalecer o anarquismo organizado e nossa incidência no seio da luta dos de 
baixo. ---- Vivemos em uma etapa de resistência na luta de classes no Brasil e é 
necessário entendermos nosso momento histórico e o papel que as organização 
revolucionárias devem cumprir para o acirramento da luta e avanço da classe oprimida. É 
hora de construirmos e consolidarmos os movimentos sociais de base, independentes e 
combativos. As Jornadas de Junho de 2013 nos serviram para mostrar a força social e a 
capacidade de influência que hoje a esquerda possui, uma esquerda que possui dificuldades 
de compreender a conjuntura e que precisa construir os movimentos desde baixo para 
conseguir conquistas permanentes e que acumulem para um projeto de transformação.

Em um momento de recessão econômica, aumento da carestia de vida e ajuste fiscal; com o 
esgotamento do pacto de classes governista, imposição de pautas conservadoras na política 
nacional, criminalização da pobreza e da luta popular, é só semeando a rebeldia nos locais 
de moradia, trabalho e estudo, independentes dos controles burocráticos, que vamos 
conseguir imprimir uma alternativa radicalmente transformadora - socialista e libertária.

É necessário que consigamos espalhar as greves contra o ajuste, com ação direta dos 
trabalhadores, democracia de base e organismos de união territorial; ativando uma cultura 
de solidariedade das lutas, de apoio mútuo, de construção intersetorial e antirepressiva; 
lutando e criando poder popular com um plano de unir as rebeldias que querem uma mudança 
social.

O anarquismo especifista surge como alternativa de projeto a longo prazo; frente aos 
projetos tradicionalmente pautados pela esquerda da disputa do Estado, de direções 
deslocadas das bases da classe e pela direita conservadora que vem ascendendo. Temos de 
seguir com a organização e mobilização em nossos locais de atuação, acumulando forças, 
fomentando a luta, organização e a solidariedade no seio de nossa classe, promovendo 
também o intercâmbio de acúmulos de nossas lutas. O anarquismo especifista no sul do 
Brasil se fortalece, organizado na Coordenação Anarquista Brasileira, sempre junto aos 
setores oprimidos, construindo um povo forte desde abaixo e à esquerda.

POR UM ANARQUISMO ESPECIFISTA ENRAIZADO NAS LUTAS POPULARES!

CONTRA O AJUSTE FISCAL E A CRIMINALIZAÇÃO DOS POBRES E MOVIMENTOS SOCIAIS!

NÃO TÁ MORTO QUEM PELEIA!

LIUTAR! CRIAR! PODER POPULAR!

http://anarquismo.noblogs.org/?p=334


More information about the A-infos-pt mailing list