(pt) Informe sobre o movimento nazi na Bulgária

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 12 de Novembro de 2010 - 10:45:30 CET


[O texto a seguir, escrito pelo Coletivo Anarco-Resistência de Sofia, refere-se à
situação do movimento nazi na Bulgária.]
Olhando para o passado, numa das prisões búlgaras está um antifascista australiano,
Jock Palfreeman, condenado a 20 anos de prisão por exercer a autodefesa. O
julgamento do seu caso foi alterado de 21 de outubro para 11 de novembro. Nesta
semana recebemos uma carta de Jock, escreveu que era importante manter a pressão
sobre as autoridades búlgaras durante os 3 meses seguintes ao início do julgamento,
já que o processo será concluído neste período. Fazemos um chamado de solidariedade
com Jock. Podeis escrever-lhe ou protestar às autoridades búlgaras.
Desde há muito tempo que existem estruturas nazis na Bulgária. Já durante o regime
comunista, especialmente durante o período do ditador Todor Givkov em 1989, cerca de
200-300 mil cidadãos turcos que viviam no território búlgaro, foram forçados a
abandoná-lo enquanto os restantes mudaram de nome e ficaram no país.

Ao terminar o último governo socialista, um monte de partidos de direita apareceram
na cena política opositora. Tinham distintos ideários e objetivos. Sem subterfúgios
alguns mostravam descaradamente serem membros assumidos da extrema-direita enquanto
outros ocultavam a sua face nazi. Por exemplo, o VMRO fundado como Frente de
Libertação da Macedônia trabalha hoje em dia com neonazis e alguns dos seus membros
são conhecidos fascistas. Ainda assim definem-se como patriotas ou nacionalistas.

Nos anos 90 já tinha havido outro ressurgimento do movimento nazi através dum
partido chamado BNRP (Partido Nacionalista Radical Búlgaro) que estava mais
orientado para o movimento skinhead. Nesta época produziram-se muitos ataques de
índole racista, agressões, pichações. Hooligans de extrema-direita tinham lutas com
punks diariamente. Assim converteu-se em algo normal encontrá-los pelas ruas e entre
os seus amigos. A maioria de estes skinheads nazis acabaram se envolvendo com as
máfias organizadas e deixaram de ser tão ativos na subcultura ou definitivamente
deixaram de ter contato com a cena nazi.

Desde 2005 está havendo outro ressurgimento relacionado com o partido ATAKA. Foi
surpreendente que conseguissem uns 8% nas eleições, pois na sociedade sentia-se que
se tinha uma opinião negativa e "agressiva" acerca deles. Na televisão foram
amplamente criticados, por exemplo, pelo seu fundo fascista. O que lhes deu alguma
popularidade foram as posições frente aos EUA e à OTAN e a intenção daqueles de
construírem bases na Bulgária. Neste momento o movimento de Unidade Nacional Búlgaro
fazia parte do ATAKA, no qual se separaram formando outro partido. Também é o ATAKA
o partido mais próximo do partido do governo GERB de direita e é aceito na sociedade
como completamente legítimo. Estes são os principais partidos, mas não é tudo.

Outra grande parte das estruturas nazis estão formadas em grupos e bandas às quais
não se dá tanta publicidade, embora os possas encontrar nas ruas com facilidade.
Blood and Honour, BNS, BNRP, NS são apenas alguns dos quais conhecemos. B&H surge de
antigas estruturas nazis dos anos 90. Muito fortes em Plovdiv, que é algo assim como
a meca dos nazis. Também há muitos movimentos hooligans ligados ao futebol como o
South Division, muito ativos em ataques de rua. BNRP são antigos nazis que
escreveram muitos livros propagandísticos, esperando o seu renascimento.

Pouco depois do aparecimento do BNS e do seu líder Rasate, fundaram um segundo
grupo, NS, de ideologia adaptada dos grupos autônomos nacionalistas alemães.
Vestem-se com cores escuras nas suas apresentações, usam linguagem esquerdista
(liberdade, socialização, nacionalismo) e têm um look muito mais casual. Criaram o
Alter Media, uma mídia independente na internet, e a capital está cheia das suas
pichações e cartazes. Dizem ser patriotas e não nazis, e contra o governo e o
capitalismo. Recentemente, alguns membros do NS começaram a ser mais independentes
da liderança do BNS e organizam os seus próprios atos. Geralmente dá-se uma grande
descentralização na direita, muitos conflitos entre os seus líderes, diferenças
políticas e estratégicas.

Pensamos que a situação política búlgara está tendo alguma semelhança com a
italiana, tanto que partidos como o ATAKA ou o VMRO têm representação no governo.
Têm o seu lugar no parlamento e influência em muitas instituições públicas. Temos
freqüentemente conhecimento do contato entre políticos e grupos nazis envoltos em
lutas de rua e ataques a grupos de esquerda. Alguns jovens nazis infiltram-se nos
movimentos estudantis e, inclusive, em pequenos partidos políticos.

Na sociedade búlgara em geral prevalece o anticomunismo e o nacionalismo, pelo que
se torna fácil a aceitação e implantação dos movimentos nazis. O partido de esquerda
BSP não se diferencia muito dos de direita, já que muitos deles se declaram
nacionalistas, ortodoxos e anti-islâmicos também. Por outro lado, os que se levantam
e lutam enfrentando tudo isto são muito poucos. Majoritariamente anarquistas e
radicais de esquerda que mais tarde ou não são conhecidos e espancados.

Coletivo Anarco-Resistência, Sofia, Bulgária


Tradução > Liberdade à Solta
agência de notícias anarquistas-ana



More information about the A-infos-pt mailing list