(pt) Faísca Publicações Libertárias #32

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 14 de Fevereiro de 2009 - 17:26:06 CET


Assuntos deste boletim:
1- Novo site da Faísca;
2- Últimos lançamentos da editora;
3- Próximas publicações: ANARQUISMO SOCIAL E ORGANIZAÇÃO (FARJ); CATECISMO
REVOLUCIONÁRIO / PROGRAMA DA SOCIEDADE DA REVOLUÇÃO INTERNACIONAL
(BAKUNIN)
4- Jornal on-line Passa Palavra.

***

#1- NOVO SITE DA FAÍSCA#

Muitos de vocês já devem ter reparado que nosso site está totalmente de
cara nova! Além do visual mais “limpo” e organizado, facilitando a
navegação, ganhamos um novo sistema de hospedagem graças aos amigos do
Alquimidia.org, projeto que está hospedando nossa página e de vários
outros grupos, e dando todo o suporte técnico que facilita imensamente o
trabalho de atualização. Por isso, nosso mais sincero agradecimento aos
companheiros do Alquimídia! E se você ainda não visitou nosso site, entre
lá e confira todas as novidades: http://www.editorafaisca.net


#2- ÚLTIMOS LANÇAMENTOS DA EDITORA#

Como já noticiamos anteriormente em nosso mailing, lançamos no final do
ano passado 4 grandes livros:

* HISTÓRIA DO ANARQUISMO
Sem autor * R$38,00 * 208 páginas * Imaginário/Faísca

História do Anarquismo apresenta ao leitor, de maneira bastante ampla, a
história das teorias e práticas do anarquismo no mundo. Em mais de 200
páginas, o livro trata dos pré-anarquistas como William Godwin e Max
Stirner, de Proudhon, Bakunin, da Primeira Internacional, da Comuna de
Paris e do Congresso de Saint-Imier. Passa pelas experiências da Espanha,
Itália, Suíça, França, EUA, pelo sindicalismo revolucionário e pela longa
obra em torno da educação. Além disso, ressalta as experiências
anarquistas no seio da Revolução Russa de 1917 e da Revolução Espanhola de
1936, até o Maio de 68 francês. Fechando o livro, há um capítulo somente
tratando de anarquismo no Brasil, desde seu surgimento, passando pelo
apogeu e terminando na crise dos 1930. História do Anarquismo possui
grande quantidade de imagens e é uma ótima alternativa para professores
que querem trabalhar o tema nas escolas e também para aqueles que não
possuem muito contato com o anarquismo e querem se aprofundar sobre o
assunto. Ao contrário de outros títulos publicados no Brasil sobre o tema,
este livro consegue dar um panorama geral do anarquismo, com um conteúdo
preciso que entrega ao leitor uma boa idéia do que foi o anarquismo em
diversas partes do mundo, desde seu surgimento até muito recentemente.


* OS ENGANADORES
* A POLÍTICA DA INTERNACIONAL
* AONDE IR E O QUE FAZER?
Mikhail Bakunin * R$ 18,00 * 96 páginas * Imaginário/Faísca

Neste livro, apresentamos três ótimos textos de Bakunin com tradução de
Plínio A. Coelho, maior tradutor de Bakunin para a língua portuguesa. Há
uma linha condutora dos três textos que é a crítica ao socialismo burguês
que surge como uma nova classe intelectual com o objetivo de dominar o
povo. Os Enganadores, de 1869, é o texto que mais critica os socialistas
burgueses da Liga da Paz e da Liberdade, afirmando que ao se colocarem
entre o mundo burguês e o mundo operário, os socialistas de tipo burguês,
se por um lado acabam por acelerar a morte da burguesia, por outro impedem
o nascimento da organização do proletariado. Um dos melhores textos de
Bakunin, A Política da Internacional, também de 1869, ao mesmo tempo que
continua esta crítica do socialismo burguês, propõe, para a emancipação
definitiva do proletariado mundial, sua organização em torno da Associação
Internacional dos Trabalhadores (AIT) que buscava reunir os oprimidos do
mundo todo, em torno de uma aliança de classe para combate do capitalismo.
Ao defender a associação internacionalista pelas bases econômicas da
necessidade, Bakunin tratou de defender como realizar a mobilização do
proletariado, da importância das lutas de curto prazo e sua pedagogia, e
da propaganda revolucionária. Finalmente, Aonde Ir e o que Fazer, de 1873,
é um texto voltado aos russos que defende a idéia de que a ciência, como
conhecimento, não é e nem pode ser o único instrumento para a libertação
de classe. Para Bakunin, se a ciência não estiver associada a uma vontade
e a uma luta pela a liberdade do trabalhador, ela não acrescentará muito à
emancipação popular.


* A IDÉIA DOS SOVIETES
Pano Vassilev * R$ 18,00 * 88 páginas * Imaginário/Faísca

Neste livro, o autor búlgaro desenvolve a idéia dos sovietes, mostrando
suas origens e distanciando-a daquilo que ficou conhecido no século XX com
o desenvolvimento da União Soviética. Para Vassilev, a origem dos sovietes
é libertária e possui raízes nas experiências libertárias dos séculos XIX
e XX, não possuindo nada em comum com o “sistema soviético”, concretizado
de maneira autoritária e centralista, que submeu as diversas localidades
da Rússia revolucionária a um poder central de Moscou. Vassilev defende
que a idéia dos sovietes, ao contrário, é uma nova organização social,
“livre e comunista, com a regulação da produção e da distribuição dos bens
na futura sociedade por meio de encontros, reuniões de trabalho entre
delegados diretos, sempre substituíveis e desprovidos de qualquer poder,
das organizações profissionais e dos centros de distribuição.” Ele
continua: “esta idéia nada tem em comum com o caráter próprio dos
bolcheviques, sua tendência estatista e seu sistema ditatorial na
regulamentação da vida social.” Vassilev trabalha a origem e o
desenvolvimento histórico desta idéia dos sovietes, passa por seu
surgimento, pela evolução da idéia dos conselhos na Rússia e das relações
dos anarquistas russos com ela.


* A CONCEPÇÃO LIBERTÁRIA DA TRANSFORMAÇÃO SOCIAL REVOLUCIONÁRIA
Rudolf de Jong * R$20,00 * 104 páginas * Faísca/FARJ

A Concepção Libertária da Transformação Social Revolucionária entrega ao
leitor um brilhante ensaio dos anos 1970 em que o autor trata das
diferentes concepções sobre a transformação social revolucionária, a
partir de uma perspectiva ideológica que busca contrapor centralistas e
federalistas. A partir das relações de domínio que podemos identificar na
sociedade, Rudolf de Jong constrói um conceito das relações
centro-periferia, que extrapolam a dominação do proletariado pela
burguesia, objeto clássico das críticas socialistas do século XIX. Estas
relações centro-periferia identificam outras formas de dominação, e outros
explorados aparecem como conseqüência do atual sistema. Utilizando como
pano de fundo as experiências libertárias dos séculos XIX e XX, o autor
demonstra as diferenças de concepção de transformação social. Extremamente
atual, A Concepção Libertária da Transformação Social Revolucionária
contribui muito, tanto para uma análise contemporânea de classe, como para
uma reflexão acerca das diferentes propostas de transformação social.

Para ler a apresentação: http://www.anarkismo.net/article/10752


Para comprar, esses e nossos demais lançamentos – além dos livros de
outras editoras distribuídos por nós – escreva para
vendasfaisca  riseup.net


#3- PRÓXIMAS PUBLICAÇÕES:

Próximos lançamentos da Faísca (saindo do forno em breve)!

* ANARQUISMO SOCIAL E ORGANIZAÇÃO (FARJ)

É com imenso prazer que anunciamos nosso o lançamento: Anarquismo Social e
Organização, da Federação Anarquista do Rio de Janeiro (FARJ).

Anteriormente publicado na internet dentro da página da FARJ
(http://www.farj.org) e como destaque do Anarkismo.net
(http://www.anarkismo.net/article/10861),  Anarquismo Social e Organização
é o programa da FARJ, aprovado no I Congresso da federação, realizado em
30 e 31 de agosto de 2008, documento que reflete a teoria da organização
após 5 anos de luta e de inserção social e que agora – numa co-edição
entre Faísca/FARJ – será lançado em livro.

O documento possui seu foco sobre a questão da organização e passa por
diversos temas: anarquismo social; luta de classes e relações
centro-periferia; breve história do anarquismo no Brasil; perda e
tentativa de retomada do vetor social do anarquismo; capitalismo e Estado;
a revolução social e o socialismo libertário como objetivos finalistas; os
movimentos sociais e a organização popular. Há uma parte que aprofunda a
discussão sobre a organização específica anarquista, passando pelos
círculos concêntricos e organização em frentes, dá destaque para as
questões do trabalho e da inserção social, da produção e reprodução de
teoria, da propaganda anarquista, da formação política, das relações e
gestão de recursos. Além disso, dá destaque para a discussão das relações
da organização específica anarquista com os movimentos sociais e enfatiza
a necessidade de estratégia, tática e programa. Finalmente, há um capítulo
que fecha o programa retomando os principais pontos da discussão e
reivindicando o especifismo como forma de organização anarquista,
comparando-o com outras concepções de organização e retomando sua tradição
histórica, como assim a entendemos.


* CATECISMO REVOLUCIONÁRIO / PROGRAMA DA SOCIEDADE DA REVOLUÇÃO
INTERNACIONAL (BAKUNIN)

Apresentamos nesta co-edição entre editora Imaginário e Faísca, também no
prelo, dois belíssimos textos de Bakunin.

Princípios e organização da Sociedade Internacional Revolucionária -
Catecismo Revolucionário foi escrito em março 1866, em Nápoles, Itália.
Entre 1864 e 1867 Bakunin reside na Itália, período este que Nettlau
qualifica de preparatório à sua atividade socialista revolucionária. Chega
em Florença em janeiro de 1864 e pouco depois funda a sociedade secreta “A
Fraternidade Internacional Revolucionária”. Entre 1865 e 1867 reside em
Nápoles, onde redige este texto que, de certa forma, é a base do programa
da Fraternidade Internacional. Não confundir este programa com o Catecismo
de Netchaiev, publicado posteriormente.

Em 1868, já na Suíça, Bakunin funda a “Aliança Internacional da Democracia
Socialista”. É neste ano de 1868 que Bakunin escreve o Programa da
Sociedade da Revolução Internacional, publicado segundo uma cópia
elaborada por Max Nettlau, que constituiu o programa da Aliança. Deste
programa, extraímos um excerto sobre o conceito de liberdade:

“Ser coletivamente livre é viver no meio de homens livres e ser livre por
sua liberdade. O homem, já dissemos, só poderia tornar-se um ser
inteligente dotado de uma vontade refletida, e, por conseqüência, só
poderia conquistar sua liberdade individual fora e sem o concurso de toda
a sociedade. A liberdade de cada um é, portanto, o produto da
solidariedade comum. Mas essa solidariedade, uma vez reconhecida como base
e condição de toda liberdade individual, evidencia que, se um homem está
no meio dos escravos, ainda que fosse seu amo, seria necessariamente o
escravo de sua escravidão, e só poderia tornar-se real e completamente
livre por sua liberdade. Portanto, a liberdade de todo o mundo é
necessária à liberdade; daí resulta que não é absolutamente verdadeiro
dizer que a liberdade de todos seja o limite de minha liberdade, o que
equivaleria a uma completa negação desta última. Ela é, ao contrário a sua
confirmação necessária e sua extensão ao infinito.”


#4- JORNAL ON-LINE PASSA PALAVRA#

Gostaríamos também de anunciar e recomendar mais um grande projeto que
acaba de ir ao ar: o Jornal Popular Passa Palavra.

Para ter acesso basta acessar: http://www.passapalavra.info

Nas palavras de seus próprios colaboradores:

“O Passa Palavra tem um duplo objetivo.

1) Divulgar as lutas sociais, especialmente em Portugal e no Brasil, e
tanto quanto possível mobilizar solidariedade para com os que lutam.

2) Servir de quadro a uma reflexão e um debate teórico.”

Colamos abaixo a Carta de Apresentação do Coletivo. Para maiores
informações, visitem a seção “Quem Somos” do site e leiam os "Pontos de
Partida", "Estatuto Editorial" e "Aspectos de Organização Interna".

“Apresentação do Passa Palavra

Cara leitora, caro leitor,
Este é o jornal on-line do Coletivo Passa Palavra.‭
‬Somos‭ ‬um grupo de
orientação anticapitalista, independente de partidos e demais poderes
políticos e econômicos, formado por colaboradores de Portugal e do
Brasil,‭ ‬cujo intuito maior é o de construir um espaço
comunicacional que
contribua para a‭ ‬articulação e a‭ ‬unificação
prática das lutas sociais.

Estarão disponíveis em nosso site: notícias,‭ artigos
‬opinativos,‭
cartunes, ‬denúncias,‭ ‬vídeos, áudios,‭
‬debates e outros materiais
informativos‭ de produção própria, visando a construção de uma rede de
solidariedade e colaboração entre todos aqueles que lutam contra as
injustiças sociais.

Não somos,‭ ‬nem pretendemos ser,‭ ‬portadores de
uma‭ ‬verdade
revolucionária.‭ ‬Por isso,‭ ‬nossas seções são
abertas‭ ‬e deverão ser‭
‬enriquecidas‭ ‬e ampliadas‭ ‬com a
cooperação dos leitores,‭ ‬ou
organizações,‭ ‬que se sintam‭ ‬identificados com
os nossos princípios‭
‬políticos/editoriais‭.

Se você luta por uma outra forma de viver a vida, mais justa e
igualitária, sente na pele e se indigna diante de todos os abusos
cometidos pelos poderes públicos e privados, conhece casos de exploração,
opressão e discriminação de todo tipo, possui quaisquer informações ou
relatos valiosos a esse respeito e sente a necessidade de fazê-los
circular: aqui, tem lugar a sua palavra. ‬Passe-a‭!

‭Como colaborar com o Passa Palavra ?

‭- Enviando Artigos: O material deverá ser encaminhado para o e-mail
passapalavra[a]passapalavra.info. Evite enviar cópias de textos da mídia
corporativa ou de outros veículos. A nossa política é de não reprodução de
artigos repetidos, salvo os casos de relatos. Estimulamos a produção
própria, seja ela em forma de análise crítica, relato, áudio ou vídeo.

‭- Divulgando o site (sítio): Divulgue os textos nos espaços que você
frequenta ou participa, repasse as informações; isto, sem ser
inconveniente, é claro!

‭- Comentando: Não basta ler! É preciso acabar com a cultura da
passividade semeada pelos meios de comunicação tradicionais; é preciso
comentar. Esperamos comentários isentos de ofensa, com conteúdos que
estimulem a reflexão e o debate.

‭Fevereiro de 2009,
‭Coletivo Passa Palavra”

***

Faísca Publicações Libertárias
http://www.editorafaisca.net
Vendas e distribuição (Cooperativa RJ): vendasfaisca  riseup.net
* Caso queira ter seu nome retirado do nosso mailing, escreva uma mensagem
para faisca  riseup.net, com o título RETIRE-ME.





More information about the A-infos-pt mailing list