(pt) [Argentina] “Não à desocupação do coletivo e abaixo os 6 pro cessos judiciais aos companheiros do Coletivo Social e Cultura de 1º de Março”

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 7 de Abril de 2009 - 21:58:37 CEST


Na terça, dia 31 de maço, pela manhã, integrantes do Coletivo Social e
Cultural 1º de Março e a Federação de Organizações de Base (FOB), e
aqueles que se solidarizaram com a luta do coletivo, marcharam na capital
federal, com o lema “Não à desocupação e abaixo os processos penais contra
os 6 companheiros do coletivo 1º de março”. A movimentação teve início às
11 horas da manhã no obelisco até a sede da Casa de Pampa no pequeno
centro portenho. A marcha interrompeu o trânsito durante a caminhada que
levou uma petição dirigida ao governo de La Pampa.
As centenas de manifestantes já estavam sendo esperadas na Casa de La
Pampa, com uma delegação da polícia federal. A petição foi entregue à
diretora do estabelecimento, Susana Cabot, que se comprometeu a enviar aos
responsáveis à nota de repúdio as acusações dos compas.
Na quarta, dia 1º de abril, os integrantes do Coletivo Social e Cultural
1º de Março, organizações e pessoas comprometidas com a luta social foram
até o palácio da justiça da cidade de Santa Rosa, para exigir “não à
desocupação do coletivo e abaixo os 6 processos judiciais aos companheiros
do Coletivo Social e Cultura de 1º de Março” com aproximadamente 80
pessoas, se realizou pela segunda vez o protesto com a participação de uma
rádio aberta, bandas, baile, bandeiras e cartazes de “Não à perseguição
política” e “todos somo de barbita” uma alusão às palavras escritas por
quem realizou a denúncia penal contra os integrantes do coletivo e fazendo
uma referência à participação das marchas que terminaram por destituir o
ex-intendente Tierno.
Somos perseguidos por recuperar um local abandonado há mais de 15 anos e
realizar oficinas e atividades culturais. Perseguem-nos porque funcionamos
organizadamente e horizontalmente, com independência de partidos e
governos, porque praticamos a autogestão, porque colocamos em prática
nossos ideais, desde o respeito, a solidariedade e apoio mútuo; porque
estamos convencidos que uma sociedade justa e livre é possível e
trabalhamos todos os dias por ela!
Não a esta justiça injusta que apenas serve de ferramenta para os
poderosos, aos que nunca perdem; porque acreditamos que a propriedade deve
ter um fim social e que as idéias devem ter seu espaço para crescer e se
complementar e porque sempre, somos nós, os de baixo, que terminamos
sentindo o peso das leis, da polícia, da violência, dos cárceres!
"A MELHOR FORMA DE VIVER! NÓS ESTAMOS BUSCANDO!”
O Coletivo Social e Cultural 1º de Março é um espaço no qual se trabalha
através da horizontalidade, em formato de assembléias, respeitando a
diversidade de idéias, levando a cabo a autogestão como meio para nos
sustentarmos.
O espaço físico, onde demos o início da concretização de nossas idéias,
está ocupado há um ano; era uma antiga igreja e se encontrava abandonado.
Desde então, iniciamos inúmeras oficinas artísticas que permitiram
converte-lo em um espaço livre, e de fomento da diversidade e liberdade!
Tradução > Palomilla Negra
agência de notícias anarquistas-ana




More information about the A-infos-pt mailing list